balancinha

Você até que é bonita!

Antes de qualquer coisa, gostaria de esclarecer que eu acredito de verdade que cada pessoa deve se amar e se aceitar como é, ou como está (tem diferença). Até porque as pessoas não são só um corpo, existe muito mais que isso em cada um de nós.

Sendo assim, vou contar uma partezinha da minha história, já que desde a adolescência comecei a sofrer com um probleminha… Vamos dizer que eu comecei a ficar levemente acima do peso, IMC alterado, arquivo pesado, GORDA! E ó vou te dizer que não é nada simples, pois é uma característica que incomoda a própria pessoa e mais todo mundo que está a sua volta (falo isso sem exageros)! Começando pelos comentários desnecessários que sempre ouvi:

“Você até que é bonita… de rosto!”
“Você já tentou fazer dieta? ”
“Come menos… Talvez isso ajude!”
“Vai no meio pra equilibrar o peso”
“Você não é gorda, você é forte!”
“Gorda assim você não vai arrumar nunca um namorado!”
“Corre mulher, tá passando no Bem estar o assunto de obesidade, parece que eles vão falar sobre uma dieta nova!”

Eu não aguento mais esse enredo de escola de samba com meu peso! Já tentei todas as dietas e procedimentos possíveis: fui ao nutricionista, ao endocrinologista, fiz academia, dança, natação, hidroginástica, spinning, comecei vários tratamentos com pouca e média eficácia, dietas loucas e “equilibradas”, mas nunca algo que tenha resolvido ou  que me fizesse retornar ao peso “normal”. Nesse caso, tudo indica que a vontade de comer sempre foi maior que a vontade de emagrecer. Mas calma! Quero esclarecer que eu não como um prato exagerado no almoço, nem faço uma panela de brigadeiro e devoro tudo sozinha. Mesmo assim, confesso que sempre faço coisas erradas do tipo: comer doces durante a semana, ficar muito tempo sem comer e depois comer muito de uma vez só, entre outras coisas que até hoje só prejudicaram minha meta de emagrecer.

Como lidar? Porque não é fácil, não! Se você vai comer um hambúrguer com batata frita todo mundo te olha como se fosse a coisa mais errado do mundo: “Por isso que é gorda, come só besteira”. Se vai comer um brigadeiro na festa sua mãe já faz um comentário de reprovação: “desse jeito você não vai passar no manequim 50!”, se você não faz exercícios também é julgado e tido como preguiçoso. É dureza? Sim! Existe milagre? Não! E eu acabei aprendendo a conviver com as gordurinhas, com o manequim grande, com as adaptações de roupas que me favorecem, entre outros artifícios que ajudam a melhorar aquele efeito botijão. Apesar de tudo isso, tenho consciência de que não existe fórmula mágica para emagrecer do dia para a noite. A única coisa que de fato emagrece é cortar as comidas altamente calóricas e fazer bastante atividade física, só assim para conseguir alcançar o objetivo de ser magra e “feliz”.

É com essa ideia que hoje eu inicio o projeto peso normal pra vida inteira. Oremos a Nossa Senhora das causas quase perdidas e das gorduchinhas desesperadas!

Amém!

Você até que é bonita!

3 comentários sobre “Você até que é bonita!

  1. Boa tarde, amiga!

    Bom, eu como sua “irmã”, já presenciei situações e depoimentos seus, referentes ao corpo, ao emagrecimento e sempre compartilhei com você também a minha história de mudança corporal. Primeiramente eu acho que “emagrecer” deveria merecer atenção em casos de saúde, pois uma má alimentação pode sim trazer malefícios para nossa saúde. Mas a ênfase que a sociedade (mesquinha e preconceituosa) dá, é justamente às circunferências de cintura, peito e bunda (que precisam estar dentro do padrão tido como “magro”, “ideal”). Mas apesar de todos os comentários e situações constrangedoras, cada um deve ter ou ir em busca, daquele corpo, daquele esteriótipo que lhe faça feliz. Pois o corpo é de cada um e só cada pessoa sabe cada transformação pela qual passa, por quais problemas e impedimentos passa para ás vezes ter um determinado corpo que almeja.
    Você compartilhou um pouco de suas vivências nesse assunto e eu gostaria de compartilhar também.
    Me entristece muito as pessoas acharem que só porque meu corpo mudou e sim, eu emagreci alguns quilos, eu esteja magra demais, ou esteja comendo pouco demais, esteja tirando onda quando digo que sou “gordinha”. Sim, eu me acho gordinha, me sinto ainda gordinha. E muitas pessoas não aceitam isso, acham que estou tirando onda, falando mentira ou que estou doida. Mas o corpo é meu e só eu sei o que sinto, como me sinto ao me olhar no espelho nua todos os dias antes do banho. Só eu sei como ainda preciso continuar buscando caminhos para perder barriga. Emagreci sim, isso é fato. Mas não emagreci ao ponto de ficar satisfeita com o meu corpo. Parabenizo-a por esta força de vontade em ir atrás do corpo que você quer, que te faça bem, e digo que estamos juntas nessa pois eu também não tenho o corpo que gostaria de ter.
    Quanto ao título da postagem, beleza está relacionada ao peso aos olhos de muitos da sociedade, mas nós podemos mudar isso ao nos considerarmos bonitas, nos sentirmos bonitas. Não somos só corpos, e a beleza não está nele, pois a mesma vem de dentro para fora,
    E só pra finalizar, digamos sempre para a sociedade que somos LINDAS e ela que aceite porque assim dói menos,

    Beijos

    1. Oi Ana, minha querida amiga!
      Muito obrigada pelo depoimento e por compartilhar comigo e com os demais leitores sua experiência.
      Eu acho que a luta pela “beleza ideal” sempre existirá, independente de como nós estejamos. Mas aprendi que corpo é importante, mas não o mais importante.
      Meus desabafos são sempre bem humorados, mas sabemos de casos de pessoas que sofrem com seus problemas corporais e se auto destroem. O importante é entender que mente sã, corpo são.
      Beijos

  2. Oi Miriam!
    Obrigada por dividir comigo seus pensamentos a respeito desse assunto. Estar fora dos padrões seja de magreza, altura, beleza não é simples, demanda muita maturidade e isso é o que eu sempre tento ter. Ser gordo não é fácil porque envolve muitos outros fatores que não somente a estética. Mas a gente aprende a conviver, sempre claro querendo melhorar!
    Avante!
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *