ilustrac3a7c3a3o-para-post-blogger-tumblr-famosas-amor-brushes-photoscape-by-thata-schultz015

Eu te amo, mas…

Eu te amo, mas eu não preciso de você!

Ouvir essa frase de alguém que se ama pode soar no mínimo incomodo. Essa sensação acontece somente num primeiro momento por causa do impacto das palavras, mas garanto que essa é a maior declaração de amor que se pode fazer/receber da pessoa amada.

Sabe por que eu não preciso de você? Porque já me sinto completa, já tenho tudo em mim mesma – me sinto feliz e realizada – e sou capaz de ficar bem mesmo que o mundo desabe lá fora. Há muito tempo entendi que a responsabilidade pela minha felicidade é e sempre será unicamente minha. Mais que isso, ganhei a percepção e a maturidade para compreender que não é possível controlar uma pessoa ou uma situação, por mais que tenhamos essa ilusão. A única coisa que podemos (tentar) controlar é como agimos e reagimos.

Então, se eu permitir que você entre na minha vida, é porque te vejo como um presente do destino. Como alguém que veio para somar, mas nunca me completar. Não sou metade de uma laranja ou de nenhuma outra fruta. Não estou partida nem incompleta. Não tenho alma gêmea. O que tenho é uma ou mais pessoas que naquele momento me faz feliz e se sente da mesma maneira ao estar comigo, e que não está ao meu lado por nenhum outro motivo que não seja o amor.

Aliás, o amor é algo engraçado: eu preciso não precisar de você. Só dessa forma eu consigo perceber a dimensão do meu amor e o quanto eu quero estar com VOCÊ. Eu me sinto livre para te amar, e me sinto dessa maneira porque tenho a consciência de que posso ser feliz sozinha. Eu te amo porque você não preenche minhas carências. Eu te amo porque não tenho medo de ser trocada por outra mulher. Eu te amo porque eu não saberia o quanto te amo se meu amor fosse medo da solidão, medo de envelhecer sozinha, pânico de não ter filhos, ou não ter alguém por perto para me apoiar financeiramente.

Acredito que, para amar verdadeiramente é necessário ser livre. Somente uma pessoa livre é capaz de se superar, de se entregar completamente, de ser em essência na presença do outro, de quebrar regras e sempre se reinventar. Só consegue viver plenamente um amor quem, de fato, desiste de tudo: de ter o outro, de idealizar um romance, de esperar que as coisas saiam a SUA maneira, de fazer planos rígidos sem alternativas, de vislumbrar que a vida inteira será uma eterna lua de mel, de esperar um final hollywoodiano com um belo “final feliz”. Quando nos tornamos vazios de desejos, de expectativas, de julgamentos e de qualquer coisa que possamos alimentar com relação ao outro, é como se o amor se revelasse na sua forma mais intensa e arrebatadora.

Se eu puder dar um conselho, saiba que: apenas quem não condiciona sua felicidade em demonstrações públicas de afeto, em eu te amo em um jantar romântico no dia dos namorados, é capaz de perceber a sutileza de um olhar, as entrelinhas antes de um beijo e um eu te amo depois de uma crise de riso por qualquer bobagem. O amor odeia clichês! É muito fácil amar alguém bonito e que proporciona sensações extravagantes e fugazes. Mas é muito melhor escolher te amar pura e simplesmente porque não te amar não teria o menor cabimento.

Eu te amo porque te amo sem ponto e vírgula, sem espaço, sem “mas”. É bem simples.

❤ ❤ ❤

 

Eu te amo, mas…

2 comentários sobre “Eu te amo, mas…

  1. Perfeito! Você escreveu como deve ser um amor inteligente, sadio, sensato, sem amarras. Concordo plenamente quando você diz: ” A única coisa que podemos (tentar) controlar é como agimos e reagimos.”
    Não devemos dar isso ao outro, pois é isso que nos move de forma madura, sensata, equilibrada num relacionamento. E a parte que eu mais gosto disso tudo é: ”eu não sou metade da laranja”
    Nada de metade, amor verdadeiro é amor completo intenso, não precisamos de uma metade e sim de alguém completo para somar ainda mais o que somos, o que sentimos. Mesmo que seja apenas uma expressão prefiro um amor inteirinho só para mim, soa muito melhor?! Concorda??? Rsrsrs.
    Amei a sua postagem! Grande beijo, sou fã do seu blog.

    1. Claro que concordo! A maior dádiva é não precisar de alguém e permanecer ao lado da pessoa por amor, por escolha!

      Obrigada pelo comentário, fico muito feliz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *